Taisekiji

Aprendendo como realizar o gongyo
(recitar o Sutra)

Vídeo - Recitação lenta do Sutra


O gongyo e a recitação do daimoku são a fonte da felicidade

Sobre o gongyo

O gongyo é a leitura da liturgia e a recitação do daimoku diante do Buda.

No gongyo da Nichiren Shoshu realiza-se a leitura dos capítulos Hoben e Juryo de Sutra de Lótus e a recitação do daimoku – Nam-Myoho-Rengue-Kyo – para o Gohonzon. De manhã, realiza-se cinco orações e, de noite, três.

Como a recitação de daimoku é o exercício fundamental e a origem dos benefícios, é denominada “prática principal (shogyo)”. A leitura dos capítulos Hoben e Juryo, por sua vez, é denominada “prática auxiliar” porque realça o daimoku e auxilia na manifestação dos benefícios.

Significado do gongyo e da recitação do daimoku

Para nós, o exercício do gongyo é o alicerce da prática da fé.

O 26º Reverendíssimo Soberano da Lei Nichikan Shonin ensina:

Esse Gohonzon é dotado de poderes místicos amplos e profundos. Portanto, se recitar o Nam-Myoho-Rengue-Kyo para esse Gohonzon, pode-se realizar as orações, extinguir as más causas do passado, acumular virtudes e evidenciar a verdade em nós.
                 interpretação de Sobre o Objeto de Devoção da Introspecção (Kanjin no Honzon Sho)

A suprema condição de vida denominada iluminação, que é o objetivo da nossa prática da fé, é estabelecida pela profunda fé no Gohonzon e realização do gongyo e recitação de daimoku para o Gohonzon.

Vamos realizar diariamente e sem falta o gongyo da manhã e da noite que são a fonte para estabelecer uma vida feliz e para desbravar um futuro repleto de esperanças.

Postura para o gongyo

Realiza-se o gongyo da manhã, orando para que o dia transcorra de forma significativa, repleto de benefícios da Lei Mística. O gongyo da noite deve ser praticado com profundo sentimento de gratidão por temos encerrado o dia com a proteção do Gohonzon.

Vamos realizar o gongyo, devemos colocar o juzu nas mãos postas e ler corretamente cada uma das letras e versos, acompanhando a liturgia. Vamos tomar cuidado para não lermos a liturgia ou recitarmos o daimoku empregando uma entonação diferente e também para não friccionarmos o juzu.

Ao recitarmos o daimoku, as palmas das mãos devem estar naturalmente unidads na altura do peito e devemos procurar focar no ideograma “Myo” do Gohonzon. Não existe uma definção quanto ao número ou à duração da recitação do daimoku no gongyo. É desejável que o recite até se sentir satisfeito.

É importante realizar o “o exercício de recitação do daimoku”, não somente como parte da prática do gongyo, com objetivos como o da concretização de shakubuku ou o da realização de aspirações.

Nichikan Shonin orienta sobre o significado de realizar cumulativamente o exercício de recitação de daimoku:

Pode lhe parecer que recitando uma ou duas vezes o Nam-Myoho-Rengue-Kyo não poderá se tornar Buda. É importante o acúmulo diário de recitação do daimoku, tal como acúmulo de gotas d’água formar o mar e com a sequência de passo a passo completar a jornada de mil ri.
                                                                                   interpretação da Explanação do Capítulo Juryo (Juryo Hon Dangi)

Vamos sempre procurar realizar a recitação de daimoku.

Recomenda-se a particpação no gongyo do Templo ou a realização com companheiros de prática, para assimilar a maneira correta de realizar o gongyo.